• Zamboni Travassos

Colaboração e BIM

Sem sombra de dúvidas, um dos temas mais abordados dentro do contexto BIM é a mudança no fluxo de informações dos projetos. Enquanto o método tradicional caracteriza-se por processos de projeto em sequência e com uma equipe fragmentada, por outro lado, o BIM demanda que os processos sejam colaborativos e com uma equipe multidisciplinar.

Dentro deste contexto, gostaria de compartilhar um pouco da minha experiência como coordenador de projetos, pontuando as peculiaridades do trabalho colaborativo em BIM. Diante disso, destaco uma oportunidade que envolveu profissionais em diversas regiões do Brasil e no exterior, cujos integrantes eram formados por engenheiros e arquitetos.

Para iniciar o trabalho colaborativo em BIM, todos os integrantes foram reunidos em uma plataforma digital de gestão colaborativa para que todos pudessem trocar informações e contato entre si. Em seguida, como coordenador, foi possível definir os perfis BIM segundo análise das aptidões de cada participante. 

Após algumas reuniões com a equipe, avaliou-se a tipologia e porte do empreendimento, estabelecendo que o mesmo seria desenvolvido a partir de vínculos cujos participantes, divididos em subgrupos, seriam responsáveis pela modelagem de uma parte do projeto para, em seguida, os modelos serem vinculados a um modelo central micro. 

Posteriormente, ao finalizar a modelagem segundo o cronograma estabelecido pela equipe, os modelos centrais micros seriam incorporados ao modelo central macro, reunindo todo o projeto.

É importante ressaltar que a centralização das informações dos modelos BIM teve o apoio de um servidor na nuvem o que possibilitou vários usuários trabalharem em diferentes partes do projeto, ao mesmo tempo, localmente ou remotamente.

Para melhor visualização deste processo, a figura abaixo resume o que foi descrito anteriormente.

Simultaneamente, dividiu-se entre a equipe a responsabilidade de organizar os arquivos de projeto, templates, pastas, atas de reuniões e etc para que todo o processo do trabalho respeitasse o cronograma estabelecido. É importante destacar que, as atribuições de cada participante foram designadas pelo coordenador, segundo o perfil BIM de cada um.  


Dentre os benefícios e peculiaridades do trabalho colaborativo, podemos destacar os seguintes pontos:

  • Redução no tempo de execução de projeto;

  • Maior engajamento da equipe devido ao aumento da colaboração;

  • Melhoria na comunicação entre os integrantes do grupo;

  • Clash detection automático e direto;

  • Responsabilidades igualmente distribuídas;

  • Visão ampliada do escopo do projeto;

  • Multidisciplinaridade intrínseca no processo colaborativo;

Em contrapartida, deve ser levado em consideração que só foi possível alcançar estas vantagens devido a mudança do processo de trabalho, que por sua vez, permitiu a otimização da produtividade garantindo melhor qualidade do produto final. Por outro lado, recomenda-se que esta mudança seja feita de forma gradual e contínua para que a equipe possa adaptar-se a nova forma de trabalho. 

Além disso, cabe destacar que a metodologia BIM já é uma realidade no mercado, mas para que ela avance é necessário que a tomada de decisão estratégica seja feita pelo líder da organização, tendo em vista que além da capacitação e treinamento técnico de todos os profissionais envolvidos, deve-se mudar a cultura organizacional, conscientizando das vantagens e melhorias que a organização adquirirá com a mudança de metodologia.

Diante do que foi exposto, pode-se concluir que o resultado foi satisfatório. A equipe de projeto conseguiu alcançar o objetivo do projeto e assegurou uma melhoria na comunicação entre todos os participantes. Entretanto, isso só foi possível devido à integração de toda a equipe e a capacitação contínua de todos, o que conduziu ao sucesso do projeto.

30 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
Solicite gratuitamente um orçamento

+55 21 9 9995-7898

contato@zambonitravassos.com

  • LinkedIn ícone social
  • Instagram
  • YouTube